Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Taxonomia animal reprodução

Taxonomia animal

Taxonomia é a ciência que classifica os seres vivos. Ela estabelece critérios para classificar todos os animais e plantas sobre a Terra em grupos de acordo com as características fisiológicas, evolutivas e anatômicas e ecológicas de cada animal ou grupo animal.

A obra de Lineu  republicada em dois volumes (1758-1759) nos quais sua classificação foi aprimorada e os seres vivos classificados de acordo com suas características morfofisiológicas, genéticas e evolutivas em três grandes reinos: animal, vegetal e mineral. A classificação binominal foi consolidada e vários dos termos utilizados por Lineu, como flora, fauna, são usados até hoje, motivos pelos quais Lineu é considerado o pai da taxonomia moderna.

No século XVII surge o conceito de espécie introduzido pelo naturalista John Ray (considerado o pai da história natural inglesa). No século seguinte, os seres vivos começam a ser classificados de acordo com sua história evolutiva e desenvolvimento embriológico até que, em 1735, Carl Von Linné (1707-1778), mais conhecido como Lineu, publica Systema Naturae onde trata dos reinos animal, vegetal e mineral agrupando os seres vivos (neste caso as plantas) em classes, ordens, gêneros e espécies. A partir daí passou-se a usar o sistema binominal criado por Lineu para classificar as diferentes espécies de plantas adotando-se um primeiro nome em latim para indicar o gênero e um segundo nome indicando a espécie.

A taxonomia se divide em dois grandes ramos. Um deles, a sistemática, trabalha com a divisão dos animais em grupos de acordos com suas semelhanças; e a nomenclatura, trabalha na definição de normas universais para a classificação dos seres vivos com o intuito de facilitar o estudo das espécies ao utilizar uma denominação universal.

Os seres vivos são classificados da seguinte maneira: reino, filo, classe, ordem, família, gênero e espécie.

A espécie é a unidade básica da classificação biológica. É formada por um grupo de seres que possuem características comuns, e que são diferentes dos seres dos outros grupos.
Os indivíduos da mesma espécie originam de antepassados comuns e através do cruzamento formam novos descendentes férteis.
Não existe cruzamento natural entre indivíduos de espécies diferentes, quando ocorre são gerados descendentes infecundos(infértil).

  • Reino: é formado pelo conjunto do todos os filos. 
  • Filo: é formado por duas ou mais classes que possuem algumas características em comuns. 
  • Classe: é formada por duas ou mais ordens que possuem algumas características em comuns. 
  • Ordem: é formada por duas ou mais famílias que possuem algumas características em comuns. 
  • Família: é formada por dois ou mais gêneros que possuem algumas características em comuns.
  • Gênero: é formado por duas ou mais espécies que possuem algumas características em comuns.

Existem também as categorias intermediárias, como subfilo, subespécie, subgênero, subfamília, etc., estas são usadas para demonstrar os graus de parentescos mais próximos. 

Regras de taxonomia

  1. Regra: O animal deve ser nomeado com no mínimo dois nomes, sendo que o primeiro nome refere-se ao gênero e o segundo à espécie. O nome deve estar escrito em latim.

  2. Regra: A letra inicial do nome do nome gênero sempre deve ser maiúscula.

  3. Regra: A letra inicial do nome da espécie sempre deve ser minúscula. Em alguns casos o nome da espécie é uma homenagem a uma pessoa, nesse caso pode-se usar a letra maiúscula para espécie.

  4. Regra: No caso da subespécie (se existir) o nome deve ser escrito depois do nome da espécie, com a letra inicial maiúscula, até mesmo quando for nome de pessoa.

  5. Regra: No caso de subgênero (se existir) o nome deve ser escrito depois do nome do gênero, entre parênteses, sempre com inicial maiúscula. 

  6. Regra: Para formar o nome da família acrescenta-se ao radical do gênero tipo a terminação idae, e para formar a subfamília acrescenta-se ao mesmo radical a terminação inae.

  7. Regra: Lei da Prioridade. Quando um animal for nomeado com diferentes nomes, por diferentes autores, adota-se o primeiro nome que foi usado para denominar a espécie. 

  8. Regra: O nome do animal deve ser escrito com uma letra diferente do texto. Pode ser usado negrito, itálico ou grifar o nome.

  9. Regra: Para trabalhos científicos, deve-se escrever o nome do animal seguido do nome do autor que o descreve. Outras citações sobre o animal devem ser colocadas entre parênteses, depois do nome do autor. 

Exemplos de Nomenclatura

1ª- Todo nome científico deve ser latino ou latinizado.

Exemplos:

Canis familiaris (cão doméstico)

Canis lupus  (lobo)

Bufo marinus    (sapo)

Pongo pygmaeus  (orangotango)

Bos taurus    (boi)

Bubalus bubalis  (búfalo)

Felis tigris     (tigre)

Felis leo         (leão)

2ª -Todo indivíduo deve possuir no mínimo 2 nomes (nomenclatura binominal).

Canis familiaris  Canis familiaris ( cão doméstico)

Canis lupus         Canis lupus        (lobo)

Canis latrans      Canis latrans     (coiote)

Canis         familiaris

gênero      epíteto específico

Bothrops alternatus       Bothrops alternatus (jararaca)

Grafia itálica                   grifados (quando se usa a escrita manual)

Canis spp.

A abreviatura de espécie é sp. e a de espécies (plural) é spp.

Plasmodium sp. (referente a uma espécie)

Plasmodium spp (referente ás várias espécies existentes)

 

Nome da espécie (primeiro o nome do gênero e depois o da espécie)

Oriza sativa (arroz)

Gênero     espécie

 

3ª- Entre o gênero e a espécie, o animal pode ter um terceiro nome, que é o subgênero, escrito com inicial maiúscula e entre parênteses.

Exemplos:

Anopheles (Nyssorhynchus) darlingi

  gênero       subgênero           espécie

Aedes (Stegomya) aegypti

Anopheles (Kertesia) bellator

 

4ª Depois da espécie, o animal pode ter um terceiro nome (nomenclatura trinominal), é a subespécie. Este nome deve ser escrito com inicial minúscula e sem pontuação intermediária.

Exemplos:

Homo     sapiens    sapiens      -     Homo sapiens neanderthalensis

 gênero      sp       subespécie            g        sp              sbsp

Rhea americana alba  (ema branca)

Rhea americana grisea   (ema cinza)

Micrurus frontalis frontalis  (MT)

Micrurus frontalis multicinctus  (SC)

Micrurus frontalis altirostris   (RS)

Gorilla gorilla

 

5ª regra para família

Apis           IDAE     Família

Gênero     +   sufixo     apidae

 

Lei da prioridade

Adota-se para cada gênero e cada espécie, o nome mais antigo pelo qual foi designado.

Desejando citar o nome do autor, colocá-lo logo após o nome científico sem qualquer pontuação intermediária. Em seguida coloca-se a data, separada do nome do autor por uma vírgula. O nome e a data não são grifados.

Exemplos:

Passer domesticus Linnaeus- Passer domesticus L.

Entamoeba histolytica Shaudinn, 1903

  • Nunca administre qualquer tratamento sem consultar um profissional da área. Esse site é meramente informativo e não oferecemos consultas gratuitas.
LINK: