Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Fornecimento de feno de alfafa picado ou peletizado para bezerros leiteiros

Fornecimento de feno de alfafa picado ou peletizado para bezerros leiteiros

A inclusão de forragem na dieta de bezerros leiteiros foi desencorajada por muito tempo, pois nessa fase de vida os animais possuem limitada digestão desse tipo de alimento, gerando acúmulo do mesmo no rúmen e consequente redução de consumo de concentrado.

Porém, números crescentes de trabalhos nas últimas décadas estão demonstrando a importância de se fornecer um bom volumoso, de preferência na forma de feno, misturado ou não ao concentrado durante a fase de aleitamento, pois altos consumos de concentrado podem proporcionar acentuada queda do pH ruminal, impactando em supercrescimento e queratinização das papilas ruminais. Porém, não se sabe ao certo qual a melhor forma física de fornecimento do feno e qual o seu impacto sobre o desempenho dos animais.

Tradicionalmente os trabalhos vêm recomendando a inclusão de 10 a 25% de feno picado juntamente com o concentrado ou 4 a 8% quando fornecido separadamente do concentrado.

Fonte: Arquivo pessoal

 

Estudo realizado por Jahani-Moghadam et al. (2015), em fazenda comercial no Iran, utilizando 36 bezerros da raça Holandesa (21 machos e 15 fêmeas), teve como objetivo avaliar o efeito da forragem (feno de alfafa) e a sua forma física (picada x peletizada) na dieta total de bezerros durante o aleitamento e pós-aleitamento.

Os bezerros foram alojados individualmente, divididos nos seguintes tratamentos: concentrado semi-texturizado sem inclusão de feno de alfafa; concentrado semi-texturizado e com 10% de inclusão de feno de alfafa picada; concentrado semi-texturizado e com 10% de inclusão de feno de alfafa peletizada. Durante o aleitamento os animais receberam 6 L de sucedâneo por dia, de 3 a 10 dias de idade; 8 L/d de 11 a 30 dias de idade; 10 L/d de 31 a 50 dias de idade, 4 L/d de 51 a 65 dias de idade e 2 L/d de 66 a 75 dias de idade. Todos os animais foram desaleitados com 76 dias de idade. Após o aleitamento, entre a 12ª e 13ª semana de idade, todos os animais foram alimentados com dieta composta de 80% de concentrado mais 10% de feno de alfafa picado e 10% de feno de alfafa peletizado.

Fonte: Arquivo pessoal

 

Segundo os autores, a inclusão ou não de feno no concentrado, independente da forma física, não alterou o peso corporal final ao desaleitamento e no pós-aleitamento. Nenhuma diferença também foi verificada para o consumo de sucedâneo, de alimentos sólidos ou do total de matéria seca ingerida. Como existiu similaridade entre as taxas de ganho de peso corporal e do consumo de matéria seca total, a eficiência alimentar foi a mesma entre os tratamentos.

 

Fonte: http://www.goldenmillinc.com/alfalfa_pellet.jpg

 

Segundo os autores, no pós-aleitamento, também não foram encontradas diferenças entre as performances e consumos dos animais. Do ponto de vista econômico, como a inclusão de feno de alfafa reduziu o custo de alimentação dos animais, aliado a similaridade de desempenho e de consumo, os resultados estimulam a inclusão de forragem na fase de aleitamento.

Os parâmetros sanguíneos não diferiram entre os tratamentos, com exceção dos teores de uréia. A inclusão de feno demonstrou maiores valores de uréia sanguínea nos animais quando comparados ao grupo controle (sem feno), e, segundo os autores, possivelmente isso ocorreu pela menor capacidade de incorporação de nitrogênio pelos microrganismos ruminais devido ao menor suprimento de energia via amido, em consequência da substituição do amido do concentrado pela inclusão do feno.

Nesse contexto, os autores concluíram que em altos volumes de leite, a suplementação de forragem não apresenta efeitos no consumo, desempenho ou eficiência dos animais. Os autores também chamam atenção que a peletização não gera benefícios sobre a picagem de feno de alfafa e que novas pesquisas são necessárias para melhor entendimento do funcionamento ruminal dos bezerros alimentados com essas dietas.

Referência: JAHANI-MOGHADAM, M. et al. Effects of alfalfa hay and its physical form (chopped versus pelleted) on performance of Holstein calves. Journal of dairy Science, v. 98, n. 6, p. 4055-4061, 2015.

 

 

  • Nunca administre qualquer tratamento sem consultar um profissional da área. Esse site é meramente informativo e não oferecemos consultas gratuitas.
LINK:

Sobre o autor

Website.: www.facebook.com/rafaelazevedo19

Zootecnista formado pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em Ciências Agrárias pelo programa de pós-graduação em Ciências Agrárias da Universidade Federal de Minas Gerais. Foi integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Nutrição Animal da UFMG (GENA), onde desenvolveu atividades de pesquisa em avaliação de alimentos para ruminantes e de desempenho de bezerros e bezerras leiteiras em diferentes sistemas de aleitamento. Atualmente é doutorando do programa de Zootecnia da Escola de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais, área de Produção Animal, sub-área Ruminantes, desenvolvendo pesquisas com aumento do teor de sólidos totais do leite e o seu impacto sob o desempenho, desenvolvimento e composição de ganho de bezerros leiteiros.

Contato: (31) 9453-6228
Belo Horizonte - Minas Gerais

E-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Mais Vistos

Principais raças de ovinos

Principais raças de ovinos

Aqui estão listadas as principais raças de ovinos onde podemos...

Confinamento de boi de corte

Confinamento de boi de corte

É chamado de confinamento o sistema de criação de bovinos...

Abscessos causados por brigas em gatos

Abscessos causados por brigas em gatos

Um abscesso se desenvolve quando germes ficam presos sob a...

Ausência de ânus em cães e gatos

Ausência de ânus em cães e gatos

Atresia anal associada a fístula retrovaginal em cães A ausência...

Sanidade em pequenos ruminantes

Sanidade em pequenos ruminantes

A produção de pequenos ruminantes tem apresentado um crescimento mundial...

Ingestão de corpo estranho em cães

Ingestão de corpo estranho em cães

Com grande frequência atendemos pacientes onde os tutores relatam a...

Verminose Equina

Verminose Equina

Os equinos apresentam grande variedade de parasitos, principalmente vermes. Algumas...

Cólica Equina: Causas,Tratamentos e Prevenção

Cólica Equina: Causas,Tratamentos e Prevenção

A cólica equina é uma doença que afeta o aparelho digestivo e...

Hipoglicemia - Perda de consciência e estado de coma

Hipoglicemia - Perda de consciência e estado de coma

A baixa taxa de açúcar no sangue, tecnicamente chamada de...

Colostragem de bezerros leiteiros

Colostragem de bezerros leiteiros

Um dos aspectos mais importantes no sucesso na criação de...

Febre do leite ou hipercalcemia puerperal

Febre do leite ou hipercalcemia puerperal

Paresia bovina do parto, ou também conhecida como Febre do...

Carrapatos transmitem infecções aos seres humanos e animais

Carrapatos transmitem infecções aos seres humanos e animais

Os carrapatos afetam muito mais os cachorros do que os...

O gato Persa

O gato Persa

História   Por volta dos anos 1600, um viajante Italiano,...

Fornecimento de feno de alfafa picado ou peletizado para bezerros leiteiros

Fornecimento de feno de alfafa picado ou peletizado para bezerros leiteiros

A inclusão de forragem na dieta de bezerros leiteiros foi...

Linfadenite Caseosa (Pseudotuberculose)

Linfadenite Caseosa (Pseudotuberculose)

A Linfadenite Caseosa (Pseudotuberculose) É enfermidade infecto-contagiosa crônica de localização...

Raça: Maine Coon

Raça: Maine Coon

História   Uma das raças mais antigas na América do...