Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Alimentos tóxicos para gatos catster

Alimentos tóxicos para gatos

Porque não dar chocolate na páscoa para meu gato? Porque não posso dar a uva que eu estou comendo? Não posso deixar meu gato beber algo alcoólico comigo?

Listei alguns alimentos que para nós, proprietários, são deliciosos ou mesmo muito comuns nas nossas rotinas, mas que pode fazer realmente mal para nosso amado gatinho. Vamos proteger nossos entes queridos dessas guloseimas (ou não) maravilhosas.

Abacate

Todas as partes do abacate contêm persina, uma toxina fungicida inofensiva para humanos. Para gatos afeta negativamente o sistema digestivo e o músculo cardíaco, podendo causar vômito, diarreia, dificuldade em respirar, indigestão e letargia (estado de inatividade).

Alimentos ricos em carboidratos – Pães, massas e arroz

Os felinos adquirem sua energia através da quebra da proteína que eles recebem por meio da alimentação, não necessitando de carboidratos. O fornecimento de alimentos ricos em carboidratos para gatos favorece a obesidade.

Bebidas alcoólicas

Afeta de forma perigosa o sistema nervoso central dos gatos. Podem causar vômito, diarreia, diminuição da coordenação motora, danos no sistema nervoso central, dificuldade em respirar, tremores, coma e até morte. Vale lembrar que o que pode parecer uma quantidade pequena para um ser humano, pode ser uma grande quantidade para seu animal.

Café e chá

De maneira geral, qualquer alimento que contenha cafeína acelera o metabolismo e, assim, pode causar taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos) em gatos hipertensos. Pode também ser fatal para eles e suas manifestações clínicas incluem agitação, tremores, convulsões, respirações ofegantes, além da taquicardia.

Cebola e alho

A toxina presente nesses condimentos causa oxidação da hemoglobina (presente na hemácia e responsável pelo transporte de oxigênio pelo sangue), que provoca anemia e pode ser fatal.

A intoxicação pode ocorrer pela ingestão de cebola crua, desidratada, cozida ou produtos contendo cebola em pó. Em gatos, intoxicados naturais ocorreriam por ingestão de papinha de neném que contem 0,3% de cebola em pó.

Chocolate

O chocolate contém um composto chamado teobromina, que pertence ao grupo das xantinas (mesmo grupo da cafeína) e varia em quantidade de acordo com o tipo de chocolate. Quanto mais cacau, mais teobromina. Substância dessa família são estimulantes do sistema nervoso central (SNC).

Os chocolates com maiores concentrações e produtos em pó possuem em torno de 15 a 20 mg de teobromina por grama de chocolate, o branco tem em torno de 0,1 mg/grama e o chocolate ao leite possui 2mg/ grama. A dose tóxica é de 80 a 150 mg/kg no gato. Sim, as chances de morte são raras, pois a dose tóxica é muito alta e o gato precisaria ingerir muito chocolate, mas não é por que nosso animal não vai morrer que devemos aceitar dar só um pedacinho, sabendo que faz mal.

As doses mais baixas (20-40 mg/kg) podem causar vômito e diarreia. Doses mais elevadas (40-50 mg/kg) podem induzir sintomas cardíacos (arritmias). Doses mais altas podem causar sinais neurológicos (como dificuldade de coordenação motora, excitabilidade e convulsão em casos mais graves), hipertermia (aumento da temperatura corpórea), insuficiência respiratória, congestão, edema e morte. As manifestações clinicas ocorrem de 6 a 12 horas após a ingestão.

Doces

Doces podem causar problemas nos dentes e, principalmente, obesidade. Além de aumentar o risco de adquirir diabetes, que nos felinos, é mais parecida com a Diabetes tipo II humana.

Fígado bovino

O fígado bovino é rico em vitamina A e quando ingerido com frequência, pode levar a hipervitaminose A, provocando formação óssea periosteal (periósteo é um tecido de revestimento dos ossos), particularmente sobre vértebras e grandes articulações. Clinicamente, os sinais usualmente aparecem em gatos de 2 a 4 anos de idade, que são rigidez da coluna cervical (coluna da região de pescoço) e torácica e/ou claudicação (mancar) associada com dor e rigidez muscular.

Leite e laticínios

Quando os animais deixam de ser amamentados, deixam de produzir quantidade significativa de uma enzima que quebra a lactose no organismo e permite a sua digestão (lactase). A maioria dos gatos são intolerantes a lactose, porém alguns autores dizem que gatos adultos podem consumir, sem problemas, pequenas quantidades de leite, igual ou menor que 1,2g/kg de peso. O importante é verificar se há diarreias e vômitos após a ingestão (de pequena quantidade) de leite. Outro problema do fornecimento de leite para gatos é que este é rico em cálcio, podendo predispor a formação de pedra nos rins.

Massa de pão ou bolo

A massa crua vai fermentar no organismo do animal, provocando acúmulo de gases no sistema digestivo do animal, que pode causar muita dor, inchaço, desorientação e, ainda, pode causar rupturas no estômago e/ou intestino.

Peixe cru

Algumas espécies de peixe cru possuem alta taxa de tiaminase, enzima que causa destruição da tiamina – vitamina B1, levando a deficiência dessa vitamina no animal. Essa enzima é eliminada com o cozimento do peixe. A insuficiência pode levar a colapso cardíaco e edema, além de neuropatias periféricas e polioencefalomalácia.

Peixes enlatados, como atum e sardinha, também não são saudáveis, exceto quando em quantidades pequenas apenas para um agrado. Esses enlatados são ricos em óleos poli-insaturados, que são difíceis de metabolização pelo gato.

Sementes de algumas frutas

Sementes de frutas como pêssego, maça e ameixa contem ácido cianídrico, responsável pela intoxicação por cianeto. Ele não permite que as células do corpo utilizem o oxigênio transportado no sangue. Os animais apresentam convulsões, coma, choque e morte.

Semente de macadamia

Seu mecanismo é desconhecido, mas causam fraquezas dos membros pélvicos (patinhas de trás) e letargia (estado de inatividade), vômito, tremor muscular, rigidez e hipertermia.

Tomate

Tomares não maduros não são indicados para consumo felino. As partes verdes possuem solanina, um comporto tóxico para eles. É necessário a ingestão de grandes quantidades para levar a intoxicação, mas os sinais seriam vômito, diarreia, comportamento desorientado e paralisia.

Uva e uva passa

A uva é a fruta mais perigosa para nossos felinos. Possui um composto ainda não identificado que afeta os rins e pode causar insuficiência renal aguda. Nas primeiras 24 horas, os animais geralmente apresentam vômito e diarreia. Posteriormente, alterações do trato urinário podendo chegar a falência renal e ao óbito em casos mais graves e agudos. O mais indicado após a ingestão de uvas seria mesmo levar seu gato para o veterinário o mais rápido possível. O que o proprietário pode fazer antes de ir ao veterinário é imediatamente após a ingestão, induzir o vômito do animal e o método mais seguro para isso seria uma colher de sopa de água oxigenada de 10 volumes ou água com sal.

Xilitol

É um adoçante artificial que está presente em diversas guloseimas, pastilhas e alguns alimentos dietéticos. Se ingeridos por um gato, vão causar liberação de insulina circulante no sangue, que por sua vez, diminuirá os níveis de açúcar (hipoglicemia), levando a uma insuficiência hepática. Os primeiros sinais são vômito, letargia e falta de coordenação motora, podendo progredir para convulsões e em poucos dias, chegar a insuficiência hepática.

Quase todos os alimentos ingeridos em quantidades elevadas podem surtir efeito tóxico.

Não poderia deixar de falar que é muito comum ouvir pessoas falarem que já deram muitas vezes chocolate, por exemplo, para seu animal e nada aconteceu. Te digo que você, seu animal na verdade, teve muita sorte. Mas não ter havido nenhum sintoma agudo não quer dizer que essa ingestão não provocou nenhum dano nos órgãos que, mais tarde, pode vir a se manifestar como doença.

  • Nunca administre qualquer tratamento sem consultar um profissional da área. Esse site é meramente informativo e não oferecemos consultas gratuitas.
LINK:

Sobre o autor

Website.: gatalia.com.br

Graduada pela Universidade de Marília - UNIMAR. Atualmente cursando mestrado na área de Clínica Médica Veterinária na UNESP de Botucatu. Atua na área de clínica e comportamento de cães e gatos, com foco voltado para gatos.

 
CRMV: 34.988-SP
 
Contato: (14) 99684-0784
Botucatu - SP
E-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Mais recentes de Sarah Paschoal Scarelli

Mais Vistos

Principais raças de ovinos

Principais raças de ovinos

Aqui estão listadas as principais raças de ovinos onde podemos...

Confinamento de boi de corte

Confinamento de boi de corte

É chamado de confinamento o sistema de criação de bovinos...

Abscessos causados por brigas em gatos

Abscessos causados por brigas em gatos

Um abscesso se desenvolve quando germes ficam presos sob a...

Ausência de ânus em cães e gatos

Ausência de ânus em cães e gatos

Atresia anal associada a fístula retrovaginal em cães A ausência...

Sanidade em pequenos ruminantes

Sanidade em pequenos ruminantes

A produção de pequenos ruminantes tem apresentado um crescimento mundial...

Ingestão de corpo estranho em cães

Ingestão de corpo estranho em cães

Com grande frequência atendemos pacientes onde os tutores relatam a...

Verminose Equina

Verminose Equina

Os equinos apresentam grande variedade de parasitos, principalmente vermes. Algumas...

Cólica Equina: Causas,Tratamentos e Prevenção

Cólica Equina: Causas,Tratamentos e Prevenção

A cólica equina é uma doença que afeta o aparelho digestivo e...

Hipoglicemia - Perda de consciência e estado de coma

Hipoglicemia - Perda de consciência e estado de coma

A baixa taxa de açúcar no sangue, tecnicamente chamada de...

Colostragem de bezerros leiteiros

Colostragem de bezerros leiteiros

Um dos aspectos mais importantes no sucesso na criação de...

Febre do leite ou hipercalcemia puerperal

Febre do leite ou hipercalcemia puerperal

Paresia bovina do parto, ou também conhecida como Febre do...

Carrapatos transmitem infecções aos seres humanos e animais

Carrapatos transmitem infecções aos seres humanos e animais

Os carrapatos afetam muito mais os cachorros do que os...

O gato Persa

O gato Persa

História   Por volta dos anos 1600, um viajante Italiano,...

Fornecimento de feno de alfafa picado ou peletizado para bezerros leiteiros

Fornecimento de feno de alfafa picado ou peletizado para bezerros leiteiros

A inclusão de forragem na dieta de bezerros leiteiros foi...

Raça: Maine Coon

Raça: Maine Coon

História   Uma das raças mais antigas na América do...

Linfadenite Caseosa (Pseudotuberculose)

Linfadenite Caseosa (Pseudotuberculose)

A Linfadenite Caseosa (Pseudotuberculose) É enfermidade infecto-contagiosa crônica de localização...