Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Abscessos causados por brigas em gatos felinedocs/google

Abscessos causados por brigas em gatos

Um abscesso se desenvolve quando germes ficam presos sob a pele e não existe maneira da infecção supurar, à medida que ele cresce. Qualquer machucado ou inflamação que rompe a pele pode causar um abscesso.

Os cachorros não são afetados com tanta frequência quanto os gatos, embora tenham mais problemas de abscessos nas glândulas anais do que estes últimos. Quando um gato é mordido ou arranhado por outro gato, as feridas deixam pequenos buracos propensos a formar abscessos, porque a pele do gato cicatriza com muita rapidez, recobrindo a bactéria dos machucados. Os abscessos felinos ocorrem quase sempre na cabeça, na região lombar ou na pata, dependendo de se o gato ganhou ou perdeu a briga. Geralmente, você nem ao menos nota o abscesso, até que o animal comece a mancar; você vê uma área quente, vermelha, inchada ou a ferida se romper e supurar um pus mal cheiroso amarelo, verde ou sanguinolento. Os animais frequentemente têm febre de 40º C a 41ºC.

Os abscessos normalmente não são perigosos, mas são extremamente doloridos. Eles também podem destruir o tecido que o circula e deixar cicatrizes feias, caso não seja tratado prontamente. Existem casos raros em que um abscesso pode se romper para dentro, ao invés de se romper para fora, infectando todo o organismo, mas, de modo geral, depois de uma ida ao veterinário, você pode tratar um abscesso em casa.

Primeiros socorros:
REMOVA A INFECÇÃO
– Quando um abscesso estiver macio e inchado, mas ainda não tiver começado a supurar, aplique compressas quentes na ferida. Isso ajudara a trazer a infecção para um ponto, abrir o machucado e acelerar o processo de cura. Encharque uma toalhinha com agua tão quente quanto você possa suportar, torça-a e a coloque sobre o tecido inchado. Se você estiver usando uma compressa quente pronta ou uma bolsa de água quente, enrole-a em uma toalha antes da aplicação. Aplique a compressa de 2 a 5 vezes por dia, revezando 5 minutos no local, 5 minutos fora, até que ela esfrie. Não coloque compressas quentes nas axilas nem na virilha.

IMOBILIZE SEU ANIMAL – Os abscessos são muito dolorosos e seu animal não vai querer que você toque na ferida. Ele pode até morder, caso não tenha sido imobilizado de forma segura. Infelizmente, os gatos são difíceis de amordaçar porque tem o focinho curto demais e geralmente o abscesso é na cabeça. Para ferimentos na cabeça, arrume mais uma pessoa que segure o gato pela pele do pescoço (nuca) com uma das mãos e as patas traseiras com a outra, levando-o delicadamente a se apoiar sobre uma bancada, enquanto você trata o ferimento. Quando o abscesso estiver na região lombar ou em apenas uma pata, coloque uma toalha na extremidade da frente, deixando a parte traseira exposta. Gatos e cães que reagem continuamente às tentativas de imobiliza-lo, provavelmente precisarão ser sedados ou anestesiados por um veterinário, ates que possam ser tratados.

TOSE O PELO – Quando o abscesso tiver começado a drenar, o pelo ficara molhado e mal cheiroso podendo manchar estofamentos e tapetes. Além dos inconvenientes, o pelo conserva a bactéria no lugar e pode retardar a recuperação, tornando mais difícil manter a área limpa.

LIMPE A ÁREA – O tecido interno de um abscesso fica vermelho e granuloso. Isso significa que a inflamação começa a sarar, mas você ainda precisa limpar o pus conforme ele supurar. Lave a área com água morna. Você pode usar um sabonete suave, para limpar o pus do pelo. Caso o pelo esteja impregnado com pus, tente manter sobre a área um pano bem molhado com água morna, durante 10 a 15 minutos, para amolecer a crosta. Depois lave com sabão e enxágue delicadamente.

Use sempre colares elisabetanos ou roupinhas cirúrgicas para que o seu animal não lamba o ferimento e com isso leve mais bactérias a ele.

OUTROS CUIDADOS:

A maioria dos animais com abscesso precisa tomar antibióticos, durante 10 dias ou mais. É importante que eles tomem toda a quantidade receitada, para se ter certeza de que a infecção esteja curada.

Dependendo da extensão e da profundidade do abscesso, seu veterinário pode dar uns pontos no ferimento ou colocar drenos sob a pele. O dreno garante que o ferimento não vai cicatrizar por cima, refazendo o abscesso. Os pontos precisam ficar no local de uma a duas semanas. Os drenos, geralmente devem ser removidos em um período de 24 a 72 horas, dependendo da quantidade e do tipo de drenagem. Durante esse período, é preciso que a região mantenha-se limpa.

 

Lembre- se, é sempre importante à avaliação do medico veterinário, não use medicação sem consulta-lo.

Cuide bem do seu amiguinho!!

  • Nunca administre qualquer tratamento sem consultar um profissional da área. Esse site é meramente informativo e não oferecemos consultas gratuitas.
LINK:

Sobre o autor

Graduada pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, PUC/PR.  Atua como plantonista na área clínica e cirurgica de animais de companhia

E-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Mais Vistos

Principais raças de ovinos

Principais raças de ovinos

Aqui estão listadas as principais raças de ovinos onde podemos...

Confinamento de boi de corte

Confinamento de boi de corte

É chamado de confinamento o sistema de criação de bovinos...

Abscessos causados por brigas em gatos

Abscessos causados por brigas em gatos

Um abscesso se desenvolve quando germes ficam presos sob a...

Ausência de ânus em cães e gatos

Ausência de ânus em cães e gatos

Atresia anal associada a fístula retrovaginal em cães A ausência...

Sanidade em pequenos ruminantes

Sanidade em pequenos ruminantes

A produção de pequenos ruminantes tem apresentado um crescimento mundial...

Ingestão de corpo estranho em cães

Ingestão de corpo estranho em cães

Com grande frequência atendemos pacientes onde os tutores relatam a...

Verminose Equina

Verminose Equina

Os equinos apresentam grande variedade de parasitos, principalmente vermes. Algumas...

Cólica Equina: Causas,Tratamentos e Prevenção

Cólica Equina: Causas,Tratamentos e Prevenção

A cólica equina é uma doença que afeta o aparelho digestivo e...

Hipoglicemia - Perda de consciência e estado de coma

Hipoglicemia - Perda de consciência e estado de coma

A baixa taxa de açúcar no sangue, tecnicamente chamada de...

Colostragem de bezerros leiteiros

Colostragem de bezerros leiteiros

Um dos aspectos mais importantes no sucesso na criação de...

Febre do leite ou hipercalcemia puerperal

Febre do leite ou hipercalcemia puerperal

Paresia bovina do parto, ou também conhecida como Febre do...

Carrapatos transmitem infecções aos seres humanos e animais

Carrapatos transmitem infecções aos seres humanos e animais

Os carrapatos afetam muito mais os cachorros do que os...

O gato Persa

O gato Persa

História   Por volta dos anos 1600, um viajante Italiano,...

Fornecimento de feno de alfafa picado ou peletizado para bezerros leiteiros

Fornecimento de feno de alfafa picado ou peletizado para bezerros leiteiros

A inclusão de forragem na dieta de bezerros leiteiros foi...

Linfadenite Caseosa (Pseudotuberculose)

Linfadenite Caseosa (Pseudotuberculose)

A Linfadenite Caseosa (Pseudotuberculose) É enfermidade infecto-contagiosa crônica de localização...

Raça: Maine Coon

Raça: Maine Coon

História   Uma das raças mais antigas na América do...